Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

10 lições atuais para empreendedores

 

A fundadora e CEO do Natalia Beauty Group, Natalia Martins, dá 10 lições atuais para empreendedores.

 

1. Restrição é a verdadeira liberdade

Quando entramos na plataforma Netflix, o risco de sairmos ou de adormecemos sem assistir nada, é absurdo. Tem tantas opções, que não escolhemos por medo de sempre estarmos perdendo algo pela decisão que tomarmos.

Ah eu quero assistir tal coisa, mas se eu assistisse aquele, ah mas vi também isso e aquilo… no fim se ela coloca algum pra ver e durante os primeiros 10 min não prendeu atenção, ela sai e busca outro entre milhares de opções.

Se alguém disser a uma pessoa: escreva qualquer coisa sobre qualquer assunto de qualquer época – ela provavelmente ficará imobilizado pelo excesso de opções.

É o que chamamos de Síndrome da Liberdade Excessiva.

Se lhe derem direcionamento mais organizado, a chance de começar a criar é maior.

Isso nos leva à constatação que cabe ao líder gerar parâmetros para que seus liderados possam prosseguir.

Think outside the box but inside strategy.

Após definir o destino, deixe-os voar o mais alto possível, mas o plano de voo quem faz é você. Incentive-os a errar muito.

 

2. Os reais objetivos são para agora, não para depois

Se você pretende fazer uma coisa no futuro, talvez não deva fazê-la.

Os melhores objetivos ou metas são aquelas que você dá início imediatamente, que não resiste esperar, ou não para de pensar nela.

Entendam: “Um dia” é a mesma coisa que “nunca”.

O objetivo deve capturar você de um jeito que não dá para adiar.

Frases como um dia vou aprender a falar italiano devem ser trocadas para vou começar aula de italiano amanhã.

O presente é real, o futuro fictício. O presente você domina, o futuro domina você.

Como líder analise os objetivos que efetivamente arrebatam sua equipe, aquilo que excita e faz alterar a respiração do time.

Se alguém vier com algum objetivo vago e distante, com muitos obstáculos, transforme em ações concretas e imediatas, depois veja como ele reage.

Se não sentir brilho no olho, esqueça. Não era um objetivo verdadeiro, não era realmente um sonho, era apenas uma desculpa para continuar vivendo sem realmente arriscar nada!

 

3. Divida seus planos, jamais suas ambições

Testes realizados desde 1933 por W. Mahler indicam que pessoas que falam sobre suas ambições são menos capazes de realizá-las.

Anunciar suas ambições para outras pessoas já satisfaz em parte sua vontade de realizá-la e diminui a força de vontade necessária para levar adiante esse esforço.

Ambições verbalizadas se transformam em realidade social em seu cérebro e você passa a sentir como se tivesse realizado de fato.

Divida seus planos com a equipe, mas guarde suas grandes ambições para você. Isso vai fazer com que elas continuem incomodando seu cérebro até você realizar.

 

4. Existem sempre mais de duas opções

Pessoas têm tendência de serem maniqueístas. Ou é isso ou é aquilo.

Lançamos ou não lançamos, fico no emprego ou peço demissão, etc.

No mundo real e múltiplo em que vivemos, as possibilidades sobre um mesmo fato são muitas, e não isso ou aquilo apenas.

Em relação ao seu concorrente você pode se unir a ele na distribuição ou na compra de matéria prima.

Pode se aliar no desenvolvimento de novas tecnologias.

Pode comprá-lo ou vender a sua empresa para ele.

Pode competir no ponto de venda ou encontrar outros modelos de distribuição, etc.

Como líder, mantenha a mente aberta do time para múltiplas possibilidades.

Coloque sempre o “por que não?” em toda discussão estratégica.

 

5. Confie sempre, mas verifique constantemente

Delegar é uma arte. Checar é uma obrigação.

Controlar cada detalhe do trabalho ou passo do colaborador, limita o poder que ele tem de criar múltiplas ações e soluçais.

Pessoas querem ser avaliadas constantemente em sua performance. Desde criança querem que o pai olhe os cadernos escolares.

Liberdade excessiva reduz performance e elimina padrão de excelência da equipe. Mesmo que confie muito no seu liderado, chame sempre para avaliar o que foi feito.

Tudo que é bom, pode ser melhorado, e é sua obrigação implantar esse espírito na equipe.

Queira um time que prefira pedir perdão que aprovação, mas como líder lembre que é melhor antecipar que remediar.

 

6. Assuma o Uau ou Não

Antes, como líder, tínhamos que optar por dizer sim ou não.

Com a multiplicidade de opções e a redução drástica de tempo que estamos enfrentando, tome uma decisão fundamental: ou algo é entusiasmante, ou a resposta deve ser sempre não.

Vida é algo importante demais para ser desperdiçada com o ordinário. Só vale a pena implementar e começar algo novo se for extraordinário. Mais importante que um “to do list” é um “not to do list”.

 

7. Se você aceitar perdas, nada pode machucar você

Líderes é empresários bem-sucedidos não são aqueles que sabem a hora certa de entrar em algo e sim a hora certa de sair.

Aceitar perdas e partir para outra na mesma velocidade que entrou, sem perder a motivação sua e da equipe, é um dos segredos mais bem guardados da liderança eficiente.

Líderes que ficam lambendo suas feridas jamais cicatrizam.

 

8. Não tente vender paixão. Compre antes

Ninguém é capaz de fazer alguém se apaixonar por uma ideia sem tê-la comprado antes.

Paixão não se transfere, se conquista. Cabe a você demonstrar sua paixão para que isso passe a fazer parte do DNA do seu time, empresa ou qualquer outra coisa

Paixão é vírus e não processo.

 

9. Promova a diversidade

Precisamos ter a real compreensão que a diversidade traz mais realidade do mercado e cross-fertilization cultural.

Empresas mais diversas estão mais aptas a responder rapidamente a mudanças, transformar senso de obrigação em desejo.

Precisamos gerar oportunidades e não apenas bandeiras.

Portanto, uma política de inclusão social não deve ser implementada porque a sociedade cobra ou os fundos incentivam e sim porque é melhor para os destinos da empresa.

Não é culpa, é objetivo. Não é para se sentir devedor e sim para preparar a empresa para o futuro.

Uma empresa deve ser um espelho competente da sociedade e a inclusão faz parte dessa competência.

 

10. Assuma que você é abaixo da média

A imensa maioria (96%) dos pacientes com câncer acham que seu caso é mais simples que a média.

E 93% dos motoristas acham que dirigem melhor que a maioria.

Todo aquele que perde o emprego se sente perseguido ou traído, jamais incompetente.

Chamamos isso de superioridade ilusória e apesar de uma percepção verdadeira no sentimento, ela é falsa na realidade.

A verdade é que num mundo onde tudo muda o tempo todo, somos todos aprendizes de novo.

E só quem se acha abaixo da média, e não acima dela, é capaz de ter a mente aberta para aprender, a humildade para ouvir e a empatia para sentir.

Pergunte sempre, não tenha medo de não saber, não seja receoso de ter dúvidas, revise conceitos e paradigmas que foram esculpidos em sua mente.

E para tudo isso é importante achar que você é abaixo da média.

Mesmo que você seja acima da média, assuma o inverso. Em tempos de grande mudança, você e sua empresa só tem a ganhar com isso…