Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Micropigmentação x Nanopigmentação de sobrancelhas. Afinal, qual é a diferença?

Graças à crescente indústria da beleza e à ascensão dos influenciadores do Instagram, sobrancelhas grossas e ousadas estão na moda. Agora, quase todo mundo quer sobrancelhas perfeitamente esculpidas e harmoniosas com o formato do rosto.

Para aqueles que não são abençoados com os genes certos, a aparência da sobrancelha do Instagram pode ser difícil de conseguir. A maquiagem é sempre uma opção viável para fazer sobrancelhas esparsas parecerem mais grossas, mas se você estiver procurando uma solução de longo prazo, pode recorrer a procedimentos estéticos de sobrancelha para alcançar as dos seus sonhos.

Micropigmentação e Nanopigmentação são os dois procedimentos mais comuns de restauração de sobrancelhas. Ambos são tratamentos semipermanentes que fazem suas sobrancelhas parecerem mais cheias e ousadas, eliminando alguns minutos de sua rotina diária de maquiagem.

Conheça as diferenças entre os dois procedimentos.

Micropigmentação de sobrancelhas

A micropigmentação utiliza pequenos pontos de pigmentos, semelhante à técnica utilizada na tatuagem tradicional. O profissional usa um instrumento semelhante a uma caneta para injetar o pigmento na camada intermediária da pele.

Os pontos de pigmento são edificáveis, o que significa que algumas partes de suas sobrancelhas podem parecer um pouco mais escuras.

Nanopigmentação de sobrancelhas

Nanopigmentação é uma técnica não invasiva que usa uma caneta de agulha fina para fazer pequenas incisões na pele. Cada corte imita um pelo natural, o que lhe dá a popular aparência de sobrancelha emplumada. A ferramenta deposita pigmento nos cortes, combinando com a cor do pelo da sobrancelha para tornar a resultado semipermanente o mais natural possível.

Comparado a outras técnicas de restauração de sobrancelhas, a nanopigmentação oferece a solução mais natural.

Ao contrário da micropigmentação, a agulha penetra apenas nas camadas superficiais da pele, de modo que o pigmento fica próximo à superfície. Isso significa que o pigmento desaparecerá depois de alguns meses.

Segurança: Micropigmentação x Nanopigmentação

Entre as duas opções, a nanopigmentação é mais segura, pois o pigmento é aplicado apenas nas camadas externas da pele, diminuindo as chances de causar uma reação alérgica. O pigmento na micropigmentação penetra mais profundamente na pele, o que pode aumentar a probabilidade de irritação ou reações alérgicas.

Contudo, em ambos os casos, para tornar o procedimento o mais seguro possível, escolha um profissional com certificado reconhecido pelo Ministério da Educação.