Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Como ser um empresário fora da caixa (parte 2)

Por Natalia Martins, fundadora e CEO do NB Group.

Na semana passada, iniciamos o nosso bate papo de como se tornar um empreendedor FORA DA CAIXA. Hoje vamos dar continuidade ao passo a passo rumo ao sucesso. Anote tudo!

6º  Propriedade intelectual… a nossa Interface

Nossos processos ou sistemas que servem para gerenciar o modelo do negócio como um todo, não devem ser automatizados até que estejam bem otimizados. Uma base, um alicerce firme para aguentar o crescimento exponencial.

Os sistemas únicos de cada organização acabam formando uma espécie de propriedade intelectual, diferenciando e aumentando o valor da organização.

Então, a maneira como trabalhamos aqui no Natalia Beauty Group, os sistemas, os métodos, tudo faz parte da nossa propriedade intelectual. Comece a analisar como está sua propriedade intelectual e então otimize ao máximo antes de automatizar na sua empresa.

7 º Metas e métricas são importantes para que todos os colaboradores da empresa saibam para onde vão.

Eles precisam ter acessos às metas e métricas, essa é a chave para medir o desempenho em tempo real, conseguir manter o trabalho focado e facilitar o fluxo de informações entre os colaboradores.

Se eles se sentirem parte do negócio, você terá uma equipe fielmente engajada no seu propósito.

8º Executar a ideia, medir o resultado e planejar algo maior, aprendendo nos seus processos.

Toda inovação surge da prática, surge do processo que você coloca no mercado. Tudo são teses, são teorias e hipóteses que somente serão de fato entendidas quando você colocar em prática.

A experimentação valida os produtos e serviços antes de investir na produção em grande escala. Isso possibilita falhar de forma rápida ou então encontrar um modelo sustentável de crescimento.

Aqui no Natalia Beauty Group não existe aquele planejamento infinito. Nós sentimos que estamos perdendo tempo sem ver resultados, então fazemos ao contrário!

9º A Autonomia é primordial para o desenvolvimento do trabalho.

As equipes hoje em dia devem ser menores, com poucas divisões hierárquicas, tornando a organização ágil e transparente, onde cada colaborador está comprometido e focado no propósito maior: o propósito transformador da sua empresa, aliado ao propósito pessoal dele.

Descentralizar o gerenciamento possui vários benefícios, como empoderar os limites externos da organização, aumentando a sua agilidade e abrindo espaço para inovações.

Enquanto eu centralizava tudo, a empresa não rodava. Tudo parava em algum momento esperando minha opinião. Hoje a empresa não precisa da minha presença física para funcionar.

10º Você precisa otimizar o tempo, os acessos, a capacidade de todas da sua equipe conseguirem trabalhar. Se não fizer isso… a autonomia vai por água abaixo!

A utilização de tecnologias sociais, como documentos compartilhados e ferramentas de comunicação, facilitam o dia a dia e permitem que as coisas se desenrolem.

Essas ferramentas contribuem para um gerenciamento mais horizontal e menos vertical, onde os trabalhos podem ser acessados e compartilhados por todos os membros.

Como você tem feito o compartilhamento de documentos, material de trabalho e a comunicação dentro da sua empresa? Você está facilitando isso para seus colaboradores?

Agora que você já conheceu os 10 passos para se tornar um empreendedor fora do padrão, é só dar o passo inicial e trilhar o caminho rumo ao sucesso!