Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Setembro Amarelo: todo ser humano é importante e devemos sempre lembrar que a vida é maravilhosa e a melhor escolha!

Estamos no mês de setembro, que é o mês dedicado a prevenção do suicídio e eu quero falar com vocês desse assunto que é muito delicado, mas é muito importante de ser discutido, para que cada vez mais pessoas consiga identificar todos os distúrbios que afetam a mente, como a depressão, por exemplo, e assim pedir ajuda ou ajudar alguém que esteja passando por esse momento delicado.

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio que foi criada no Brasil, em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida, pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psiquiatria, com a proposta de associar à cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio que é dia 10 de setembro.

Embora muitas pessoas não saibam, isso é considerado um problema de saúde pública e não uma fragilidade de caráter ou personalidade. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a cada 40 segundos, uma pessoa comete suicídio em algum lugar do planeta. Vocês têm noção disso?  Ou seja, em um ano, mais de 800 mil pessoas perdem sua vida dessa maneira.

Diante disso, fica claro a importância e a necessidade de falar sobre saúde mental. Precisamos falar sobre o suicídio que não tem idade, sexo, religião ou cor. Ele pode acontecer a qualquer momento e com isso afeta famílias, comunidades e países inteiros, deixando efeitos duradouros e dolorosos.

A campanha mostra para todas as pessoas que elas não estão sozinhas, são compreendidas e podem procurar ajuda, que todos esses problemas têm uma solução quando recebem o apoio de outras pessoas. Há formas de cuidar da pessoa que tem pensamentos suicidas e todos nós podemos ajudar. É muito importante a gente começar a observar as pessoas ao nosso redor e identificar possíveis comportamentos que podem levar ao suicídio, como:

        üTendência ao isolamento

       üMudanças marcantes de hábitos

       üPerda de interesse por atividades que gostava

       üDescuido com a aparência, como por exemplo, não querer tomar banho ou pentear o cabelo, ou escovar os dentes.

       üPiora no desempenho escolar ou no trabalho

       üAlterações de apetite ou de sono

       üAnsiedade excessiva

       üSintomas físicos como cansaço, fadiga, mal-estar, taquicardia.

      üE principalmente a utilização de frases do tipo “acho que é melhor morrer”, “preferia estar morto do que passar por isso”, “tenho vontade de sumir, de desaparecer”.

Nós temos que começar a ter um olhar mais atento às pessoas e não achar que isso é frescura. Temos que ajudar, temos que estender a mão, temos que ter EMPATIA. Depressão é uma doença e deve ser tratada como tal por especialistas. As pessoas precisam de ajuda de uma equipe multidisciplinar para sair dessa fase crítica, e principalmente do apoio da família e dos amigos.

Eu falo isso por experiência própria. Eu já tive depressão e síndrome do pânico e precisei de ajuda. Eu já falei para vocês que eu cheguei no fundo do poço, um lugar frio, escuro, sem vida, sem esperança. Um buraco vazio, onde a gente olha para os lados e não consegue enxergar uma saída. Um espaço sufocante, que te deixa a beira da loucura, e a gente chega a acreditar que a melhor solução é acabar com aquele sofrimento. É como se a gente estivesse na ponta de um precipício e a única saída é pular. MAS NÃO É!!! Se a gente conseguir olhar para os lados, vamos conseguir enxergar muitas saídas e aos poucos, vamos enxergando a beleza da vida novamente. Mesmo na escuridão mais gelada, é possível encontrar calor e luz. É claro que precisamos de ajuda profissional para dar o primeiro passo para sair do fundo do poço. Mas é preciso que as pessoas que estão ao nosso redor, tenham:

Empatia, que é a consciência de saber como o outro se sente;

Compaixão, que é o desejo de ajudar

E Altruísmo, que é o sentimento de motivação, o interesse, a consideração pelo outro que faz a gente ter uma ação.

Depois da ajuda profissional, é preciso encontrar coragem para sair do fundo do poço, e coragem não significa ausência do medo, porque a gente sente muito medo: medo do desconhecido, medo do conhecido, medo de ficar, medo de ir, medo, medo, medo, e esse medo paralisa completamente a gente. Ter coragem é, apesar do medo, seguir adiante.

E seguir adianta significa não ter vergonha de falar, compartilhar, conversar, mostrar para outras pessoas as nossas dores, as nossas fraquezas, as nossas vulnerabilidades, porque assim, nos conectamos com outras pessoas que estão passando pelo mesmo problema e muitas vezes não tem coragem de se abrir, de pedir ajuda, de se mostrar.

Todos nós temos altos e baixos. Todos nós precisamos uns dos outros. Somos seres humanos. Vivemos em comunidade e precisamos da comunhão. Faz parte da nossa sobrevivência. NÃO TENHA VERGONHA DE PEDIR AJUDA!!! NÃO TENHA VERGONHA DE SE EXPOR. Se você não falar, não pedir ajuda, você dificilmente será ajudado. E se você não está passando por isso, mas quer ajudar alguém que esteja sofrendo, ajude de coração aberto. O presente da vida é entender que quanto mais damos de coração, mais vamos receber. Nada é feito por uma pessoa sozinha, o que significa que temos que nos unir para fazer as mudanças que queremos ver no mundo.

O Natalia Beauty Group tem o compromisso, a sensibilidade, o conhecimento e a preocupação com outro ser humano desde sempre. Temos a crença de que a vida é um aprendizado constante que vale a pena ser compartilhado e vamos em busca de todos os recursos que temos ao nosso alcance para ajudar a prevenir o suicídio, porque TODA VIDA IMPORTA!!!